Eu acredito que ninguém viaja sem fazer um bom planejamento antes. Não é verdade? Geralmente depois de decidir o local onde querem passear, as pessoas pesquisam sobre o melhor local para se hospedar, os melhores restaurantes para comer, os lugares mais bonitos pra passear, como são as pessoas que moram nesse lugar, etc. Ou seja, as pessoas planejam! Juntam dinheiro com antecedência, fazem um cálculo médio do que devem gastar, isso tudo pra evitar que a viajem não se torne um pesadelo.

Nos negócios não deve ser diferente. SQN! Infelizmente, quase todas as vezes que toco nesse assunto com algum cliente, percebo logo um ar de descontentamento. A grande maioria, e não me arrisco em dizer isso, nem gosta de conversar sobre esse assunto. E é exatamente por esse motivo que vem crescendo o número de empresas que fecham as portas prematuramente. Mas e os casos que deram certo sem nada de planejamento? Como explicar? Pura Sorte! Eu diria. Essa pessoa teve a sorte de abrir o negócio no lugar certo, na hora certa com os produtos ou serviços certos! Só que nos negócios não podemos depender apenas de “Sorte”.

Felipe Morais, em seu livro Planejameno Estratégico Digital, aborda em quase todo o livro essa importância. E nas páginas 170 e 171 ele aborda os pilares que sustentam um bom planejamento, são eles: ObjetivoCompreensão do cenário em que a marca está inseridaIdentificação da Concorrência e Consumidor. Eu particularmente concordo em número, gênero e grau com ele! E assim como ele, eu também não me canso de falar isso com os meus clientes, da importância de um bom planejamento.

Então você já sabe, se com planejamento as coisas estão complicadas nos dias de hoje, que dirá sem ele! Lembre-se sempre que:
Sem “Objetivo“, fica IMPOSSÍVEL saber para onde ir!
Sem “Compreender o cenário onde sua marca está inserida”, fica inviável criar uma estratégia de marketing que funcione.
Sem “Identificar a concorrência“, fica difícil saber como melhorar a postura do seu negócio. Não se entra em uma guerra sem conhecer o inimigo!
Sem saber quem é o seu “Consumidor“, não se venda nada! Tenha em mente que seus produtos ou serviços devem solucionar os problemas dos consumidores, e não apenas satisfazer os seus “achismos”. Pra isso, você precisa conhecer mais a fundo quem são e quais o problemas dos seus consumidores.